A queda e a restauração da família

Motivos, emoções e idolatria
15 de junho de 2018
Tudo ou nada? – Refletindo sobre a liberdade cristã
6 de julho de 2018

 Quando lemos a Bíblia, percebemos que desde o princípio Deus é o Deus da família. Foi ele mesmo quem a estabeleceu quando deu ao homem uma auxiliadora idônea. Lemos no livro de Gênesis a afirmação: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gn  2.24).

 No mesmo livro de Gênesis, vemos que a família desfrutava da comunhão com o Senhor e da comunhão mútua. Era uma harmonia perfeita!

 Porém, após a queda, esse relacionamento harmonioso da família com o Senhor foi maculado pelo pecado. Ao ser questionado sobre a desobediência, Adão culpou ao Senhor: “A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi” (Gn 3.12), ou, em outras palavras, “a culpa é do Senhor, foi o Senhor quem me deu essa esposa”.

 As conseqüências do pecado na família são vistas também em Gênesis. A submissão da mulher ao marido, que acontecia de forma tranqüila e perfeita, agora seria penosa, e até a bênção da geração de filhos, que não foi retirada pela misericórdia do Senhor, seria dolorosa (cf. Gn 3.16). Enfim, o pecado afetou profundamente a vida da família.

 Mas o livro de Gênesis não traz somente as más notícias sobre a influência do pecado na família. Existem bênçãos maravilhosas. No capítulo 3.15, o Senhor afirma que da mulher nasceria aquele que esmagaria a cabeça da serpente que os havia enganado. Mais adiante, quando o Senhor chama Abrão para sair de sua terra idólatra e ir para uma terra que ele próprio iria mostrá-lo, fazendo dele uma grande nação, promete: “Em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.3b).

 O Senhor restaura famílias. Podemos perceber como é a vida de uma família que crê na redenção do Senhor no Salmo 128: “Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos! Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme ao Senhor!” (1,3,4).

 Pela graça, aos pés da cruz de Jesus Cristo, a família pode novamente viver em harmonia e glorificar o Senhor que a estabeleceu.

 Aqueles que têm suas famílias aos pés do Senhor devem agradecer a cada dia; aqueles que não têm toda a família crente no Senhor devem continuar orando, testemunhando e falando do amor de Deus a cada membro.

 Que o Senhor nos abençoe para que, à semelhança de Josué, possamos afirmar: “Eu e a minha casa, serviremos ao Senhor” (Js 24.15b).

                Pr. Milton Jr.

Milton C. J. Junior
Milton C. J. Junior
Graduado em Teologia pelo Seminário Teológico Presbiteriano "Rev. José Manoel da Conceição" e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Especialista em aconselhamento bíblico pelo Seminário Palavra da Vida. Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil desde 2002, servindo à Igreja Presbiteriana da Praia do Canto desde 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 17 =