Um epitáfio vergonhoso

Canais da bênção de Deus
30 de maio de 2018
Motivos, emoções e idolatria
15 de junho de 2018

Epitáfio é a inscrição que lemos nos túmulos a respeito de uma pessoa que morreu. Por exemplo: “Aqui jaz ‘Fulano de Tal’, um excelente pai de família”.

No Segundo Livro das Crônicas, lemos a respeito do rei Jeorão: “Era ele da idade de trinta e dois anos quando começou a reinar e reinou oito anos em Jerusalém. E se foi sem deixar de si saudades; sepultaram-no na Cidade de Davi, porém não nos sepulcros dos reis” (2Cr 21.20).

As razões da morte do rei Jeorão não ter deixado saudades estão expressas em todo o capítulo 21. Diz o texto que, depois da morte de seu pai Josafá, ele começou a reinar. Ao assumir o reino, ele matou seus irmãos e alguns príncipes, e fez o que era mau perante o Senhor. Induziu o povo à idolatria e, como conseqüência, trouxe sobre Judá o castigo do Senhor.

Ao morrer “o seu povo não lhe queimou aromas, como se fez a seus pais” (2Cr 21.19b). Isso contrasta com a morte de seu avô Asa, que foi sepultado com muitas honrarias (ver 2Cr 16.14).

Se morrêssemos hoje, o que seria dito sobre a nossa pessoa? Será que deixaríamos saudades? Ou nosso epitáfio também seria vergonhoso?

O que vai definir o que será dito de nós após nossa morte é a maneira como vivemos. Devemos ter uma vida reta aos olhos do Senhor. Quando obedecemos aos mandamentos, é impossível não sermos boas pessoas.

Seremos esposos amorosos, esposas submissas, bons pais, filhos obedientes, bons patrões, bons empregados, pois nas Sagradas Escrituras encontramos a regra dada pelo Senhor para todas as áreas de nossa vida.

O Evangelho de Cristo Jesus transforma vidas. Por causa da obediência de Cristo, fomos salvos pela graça e libertados do pecado a fim de podermos colocar em prática, pelo poder do Espírito Santo, a Santa Lei do Senhor e isso deve ser evidenciado em nós, que fomos chamados para ser servos do Deus Altíssimo.

Para tal, vivamos um cristianismo integral, dando a devida importância a todas as áreas de nossa vida. Que a nossa vida seja aprovada por Deus e apreciada pelo próximo, para a glória do Senhor que nos salvou.

Deus nos abençoe!

Pr. Milton Jr

Milton C. J. Junior
Milton C. J. Junior
Graduado em Teologia pelo Seminário Teológico Presbiteriano "Rev. José Manoel da Conceição" e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Especialista em aconselhamento bíblico pelo Seminário Palavra da Vida. Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil desde 2002, servindo à Igreja Presbiteriana da Praia do Canto desde 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + sete =